13 de jun de 2010

Frio

Frieza é mentira. É brecha. Frieza é porta destrancada, que tem jeitinho de abrir. É porta escondida. É Medusa de pedra. A frieza é sensação de sair da guerra morto-vivo, ferido mudo traumatizado. É medo de chorar. E chorar escondido. Frieza é secar os olhos e sorrir e fingir. Frieza é ouvir o coração acelerar e ignorar. Frieza é queimadura de terceiro grau. Frieza é dormência do tapa na cara. É corcel ferido pedindo tiro de misericórdia. É grito estridente. É ausência.

É silêncio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário