12 de fev de 2011

...

Os anos passam e eu amadureço de uma forma cruel, recuperando pedaços e emendando emoções já tantas vezes estilhaçadas. Me sinto antiga e um pouco exausta, o corpo dói e o coração, às vezes, chora. Ainda há a frustração de não mais me inspirar. Vai ver estou ficando rígida das tantas pancadas que levei, meu sentimento já não vai à flor da pele e eu não perco o compasso da minha tranquilidade. O gosto que eu tinha de me emocionar foi-se, as palavras que antes me eram fluidas agora se misturam e perdem sentido – ou sou eu a embaralhada? - . E dessas minhas catarses paradoxais surgiu uma verdade que me deu um tapa seco e ardido na cara... Eu, objeto gritante, me vi estupefata e muda.

Não, não entregue-se a ninguém.

Tarde demais, faltam tantos pedaços que fiquei meio quebradiça.

Um comentário:

  1. Poxa, que saudade que sinto de vir aqui e ler alguma coisa sua.
    Ainda que este, esteja meio quebrado e introspectivo,
    to esperando o dia que vc vai conseguir se soltar, como a um tempinho atras.
    Ficou foda, por justamente, dar a entender a tua falta de tesao por tudo isso.
    (L)

    ResponderExcluir